A Parada da Música

Para que um novo cd em 2018?

 

Ao colocar a nova versão do site da GRV no ar em 16|07|2018, obrigatoriamente, passei por uma revisita dos até aqui, 51 cds, 8 dvds, além de quase 5 mil faixas distribuídas digitalmente, desde o início da era do comércio eletrônico de música nesse país.

Qual a primeira emoção? Chegamos aos 60 produtos físicos. Aí vem aquela pergunta: “ainda vale à pena fabricar cd ou dvd ou vinil?”. A minha resposta desde sempre, é e será a seguinte: se em  todo e qualquer formato existir valor para sua matéria prima, então não só vale, como deve, desde que o primeiro à dar valor, seja você mesmo.

Nessas horas, sempre lembro da indústria petroleira; que a partir de sua matéria prima, comercializa dezenas de produtos, incluindo os cds, dvds, vinis, entre outros. Ao mesmo tempo, lembro de alguns jornalistas da música, que insistiam em suas matérias, programas e críticas em reduzir a renda das criações e produções alheias, sabe-se lá com que objetivo, com a afirmação precipitada, tipo “olhem, o cd acabou”.

Lamentavelmente, nos dias de hoje, presenciamos uma super crise estética e empregatícia, não só nos veículos de comunicação, como também nas editoras, distribuidoras e lojas. Muitos conhecidos do meio jornalístico estão penando para se reinserir no mercado. Nós da música, reconhecidamente, já sofremos bastante para nos reinventarmos, e apesar de todas as dificuldades mundiais, seguimos avançando a cada ano, com mais consistência, coerência e consciência. Tanto é verdade, que a diversidade de formatos segue viva.

Se a evolução era inevitável com os avanços tecnológicos, creio que a rapaziada da música compreendeu, se conectou e reinventou; e lentamente, percebe o grande valor de cada like. Para mim, por uma série de motivos, é mais que especial chegar ao 60º produto. De 2002 para cá, lá se vão 16 anos dedicados à legalidade,  mobilidade, sustentabilidade e rentabilidade. E vejam que  grande coincidência: o nome do cd, nossa 60º obra de arte, do guitarrista brasiliense Tex e seu Quarteto, chama se Todas as Línguas.

Sobre o cd, que lançaremos no próximo dia 10 de agosto de 2018, escreverei em breve. Enquanto isso, apenas uma curiosidade: sabem onde está um desses jornalistas que previu, equivocadamente, o fim daquilo que ainda existe? Resposta: fazendo festinhas com vinil.

Viva a emoção em todos os formatos

Musicalmente

Gustavo Vasconcellos

2461 Músicas distribuídas
461 Obras Sob Administração
4089 Shows Realizados
130 Projetos Executados
11 Projetos Captados
76 Projetos Elaborados