24|1: TEMPORADA DE VERÃO BSB DISCO CLUB

BSB DISCO CLUB
PISTA, PALCO, FESTA, SOM E DANÇA.

Após oito anos, a banda BSB Disco Club, retornou aos palcos brasilienses com duas apresentações no mês de dezembro de 2018, na casa noturna UK Music Hall.

Diante da repercussão e de olho na expansão em 2019, iniciamos na última quinta-feira, 17 de janeiro de 2019, a nossa temporada de verão no pub da 411 Sul recheada de sons dançantes marcantes das décadas de 70 [ disco, funk e soul], 80 [
groove & pop] e 90 [ eurodisco].

No total serão 08 [oito] quintas feiras, ao lado do DJ Jamaika e convidados especiais, a partir das 21h.

Na estreia, a cantora Dhi Ribeiro abrilhantou a noite [ vide fotos] e não haveria outra artista mais adequada para interpretar Jorge Benjor, Tim Maia e Frenéticas.

Na próxima quinta, receberemos a cantora Renata Levi e um percussionista brasileiro que transita em todo o planeta.

Sobre a nova formação?
Gustavo Vasconcellos [ bateria]
André Benedetti [ baixo]
Felipe Barão [ guitarra]
Pedro Hermínio [ teclados]
JC [ percussão]
Aline Lakiss [ voz]
Sol Leles [ voz]
Thiago Ruby [ voz]

Quanto?
R$30 | até às 22:30h
R$ 40 | após às 22:30h

Promoção:
R$15 com nome na lista até às 22h 30min

De quando à quando a temporada?
Sempre às quintas feiras, de 17 de janeiro a 28 de feveriro de 2019

Como é o show?
21h : DJ Jamaika
22h 30min: BSB Disco Club
00h: DJ Jamaika

Tem limite de idade para entrar?
É desaconselhável para menores de 30 anos

O show é animado?
E como…

Reservas e Informações?
98173 0004 | 32571993

Aceita cartão?
Sim

O endereço do local?
Asa Sul Comércio Local Sul 411 – Asa Sul, Brasília – DF, 70277-080

Sujeito à lotação?
Sim

SERVIÇO

BSB DISCO CLUB – PISTA, PALCO, FESTA, SOM E DANÇA.

Venha dançar ao som dos grandes clássicos e maiores hits nacionais e internacionais de todas as épocas
Local: UK Music Hall – CLS 411 – 21:30H
Data: 24 de janeiro de 2019 | 21h
Ingresso: R$30,00 (trinta reais) até 22h 30 min | R$ 40 após às 22h 30min
Limite de Idade: 18 anos
Reservas e Informações: 32254576

BSB DISCO CLUB

1995

Depois de dez anos dedicados à música em Brasília, tendo atuado até então em representativos grupos como: Fama, Os Rochas, Mel daTerra, Vagabundo Sagrado, Another Blues Band e Oficina Blues (de onde se desligou ainda neste ano), em uma conversa informal entre o baterista Gustavo Vasconcellos e o cantor brasiliense Mário Salimon (antigo parceiro musical) durante um almoço no mês de dezembro no Restaurante Careca – 310 Norte, surgia a idéia de fazer um grupo onde pudéssemos nos divertir tocando os clássicos da disco, já que além de apreciadores da musicalidade de alguns grupos da época, também queríamos montar um show para mostrar todo o espírito marcante desta época.

1996

Passada a fase inicial de escolha de repertório e de formação da banda, em fevereiro de 96 iniciaram-se os ensaios com a seguinte formação: Gustavo Vasconcellos (bateria), Mário Salimon (vocais), Oswaldo Amorim (baixo), Sylvio J.(guitarra e voz) e Eládio Oduber (teclados). Em junho, a primeira formação se completa com a entrada das vocalistas Geórgia e Indiana. Em julho, o grupo faz uma experiência no palco do Gallú Pub em Taguatinga e finalmente em agosto a banda faz o seu batismo na tradicional casa noturna brasiliense Gate´s Pub (403 Sul).
Depois de um início promissor, a banda começa sua caminhada, apresentando-se em espaços dançantes da cidade, sempre aplaudida pelo público, por jornalistas e também pelos demais músicos da cidade. O que mais orgulhava até então era, a satisfação da platéia – seja dos bares, das festas ou eventos.
1997
A opção por unanimidades da era das discotecas dos anos 70 foi sacramentada pelo público.
Para que se tenha uma idéia do impacto da banda, no início de 97 a BsB Disco Club quebrou, sucessivamente, dois recordes históricos de público de uma das casas mais badaladas de Brasília. Além de temporadas bem sucedidas nas principais casas noturnas de Brasília, a banda finalizou o ano de 97, recebendo com muita honra o prêmio “Os Melhores de 97” categoria
‘Banda’, concedido pelos Promoteurs: Anna Paula Couto, Ronald Carvalho e Pedro Paulo.

1998
Após dois anos de intensas atividades e com a saída por motivos de saúde do tecladista Eládio Oduber e do baixista Oswaldo Amorim (ganhador de uma bolsa de estudos no Estados Unidos), a banda passa pelo primeiro período de questionamento do seu futuro. Modificações de repertório, inclusão de material próprio e troca de músicos atrasaram o início das atividades neste ano. A partir de março já com os novos integrantes, Raul Santiago (baixo) e Ricardo Boy (teclados), a banda retorna a cena, mas sem o mesmo entusiasmo dos anos anteriores, o que acaba motivando uma paralisação nas atividades e a saída do vocalista Mario Salimon.
Passados dois meses de descanso, contando com o vocalista Marcos Tani e com o espírito renovado, a banda faz sua re-estréia no dia 08 de agosto na primeira edição do Festival Porão do Rock, realizado na Concha Acústica de Brasília, com a presença de dez mil pessoas e de expressivos artistas locais.
Impressionados com a receptividade no festival, inicia-se o processo de profissionalização total do trabalho. Uma rotina semanal de ensaios e apresentações, em um primeiro momento possibilita o aumento considerável de seu set list, e muitas possibilidades para projetos associados ao tema.

A partir disto, a banda alcança uma qualidade técnica, aliado à performances cênicas que fazem com que suas apresentações se aproximem cada vez mais de um espetáculo, capaz de atrair públicos de faixas etárias variadas e que os possibilita entrar no circuito de festas, casamentos, eventos institucionais com mais frequência.

1999

No verão de 99, a banda inova o cenário musical brasiliense realizando no Gate´s Pub a primeira grande temporada de uma única banda no mesmo local.

O que era para durar apenas o mês de janeiro, acaba se estendendo até o mês de março. A cada semana a banda batia seu próprio recorde de público, que resultou ao final das 12 semanas do projeto “ BsB Disco Club – Ao Vivo”, a consolidação da proposta do grupo, assistida por 5.000 pessoas e conseqüentemente na confirmação de ser esta, uma idéia viável na cena local.

A mesma idéia se repetiria com o mesmo sucesso em julho deste ano, o que transformou o grupo em um dos mais requisitados no circuito de festas e casas noturnas da cidade. Além do Gate´s Pub, o grupo recorda com enorme honra ter inaugurado o projeto musical da casa noturna Music Hall Café.

No final do ano, recebe seu primeiro convite para se apresentar na virada do ano. Em uma festa belíssima, promovida por Ana Paula Couto, no Recanto das Águas, a banda despede-se deste ano inesquecível, em alto estilo. Este show marca a saída do baterista Gustavo Vasconcellos, assumindo a partir de então a parte administrativa e comercial do grupo. Em seu lugar assume as baquetas Pedro Mamede.

O que dizia a imprensa em 1999

COM NOVA FORMAÇÃO, BSB DISCO CLUB COMPLETA DOIS ANOS E TOCA NO GATE’S REFORMA NA DISCOTECA

A disco voltou. Luzes estroboscópicas, plumas e paetês. O lado mais dançante dos anos 70/80 ainda está vivo. Quem garante é a banda BsB Disco Club, que, depois das férias, está de volta com nova formação e repertório aditivado. Completando dois anos de formação, a BsB Disco Club se apresenta hoje no Gate’s Pub (403) sul, a partir das 23h. O grupo continua desafiando os maiores sucessos das pistas que embalavam as noites de sábado há 20 anos, mas sofreu mudanças na formação. Saiu o cantor Mário Salimon, que está investindo na carreira solo, gravando músicas próprias. Saiu também o baixista Oswaldo Filho, que foi estudar nos Estados Unidos.Nos vocais entrou Marcos Maykill, cantor do Auravil e de outra banda de festa, o Jamiroquai Cover. No baixo, Raul Santiago, que agora acumula a banda com o soul-rock do Plastika. De resto, Sylvio J. (guitarra e vocais), Boy (Teclados) e Gustavo Vasconcellos (bateria) continuam firmes, como a dupla de backing vocals Indiana e Geóriga.

No repertório canções antigas como Le Freak e Everybody Dance (ambas do Chic) e He’s the Greatest Dancer (Sister Sledge), Indiana e Geórgia também cantam duas músicas (Never can say goodbye e Boggie Woogie Woogie respectivamente). “É um repertório que te chama pra dançar, não tem erro” garante o guitarrista Sylvio J, que também toca no Pravda.

A nova formação implicou em diferentes leituras para músicas já habituais no repertório da BsB. “Le Freak ganhou até um arranjo novo, com uma tonalidade igual à versão original, o que não faziamos antes porque não combinava com o vocal do Mário, que tem a extensão de voz menor que a do Marquinhos” Explica Sylvio.

A BsB Disco Club segue na cola da ferverção disco. As Músicas deste estilo, que até pouco tempo era mesmo considerado demodê e ultrapassado, ganharam uma sobrevida com as trilhas sonoras de filmes recentes como Boogie Nights, Ou tudo ou nada e Jackie Brown.

Tanta Badalação da disco nas telas de cinema, no entanto, ainda não serviu para fazer o fogo na pista se alastrar. “Aconteceu um revival bem sincronizado, isso estava no ar, na cabeça de várias pessoas, mas não houve uma mudança de comportamento” acredita Sylvio J. (Irlam Rocha Lima – Correio Braziliense)

Comentários

Não tem nada melhor na cena pop brasiliense atualmente do que a BsB Disco Club. O show que a banda fez sexta-feira no Gate’s (absolutamente lotado), comemorando dois anos de vida, só veio confirmar isso.Marcos Maykill, o gordinho que substituiu Mário Salimon no vocal segurou a onda numa boa, e as backings Indiana e Geórgia continuam ótimas e sensualíssimas. No repertório, que ajuda a formar o perfil do grupo, I Will Survive continua imbatível. (Irlam Rocha Lima – Correio Braziliense)

Dançar ou Dançar
Para cair na farra. Quem ouve a BsB Disco Club não tem outra opção: é dançar ou dançar. Em tempo de comemoração do seu segundo aniversário, a banda que trouxe de volta para os palcos das casa noturnas da cidade o som dos anos 80 ataca de novo no Gate’s. A BsB promete incendiar o pub da 403 Sul hoje, a partir das 23h, com o show em que o repertório está recheado de clássicos da Disco Music. (Irlam Rocha Lima – Correio Braziliense)

2000

O ano de 2000 começa a mil por hora.Sem tempo de descansar o grupo inicia uma nova temporada vitoriosa no verão local. Trata-se do Projeto Bsb Disco Club “CONVIDA”. Na oportunidade ao longo de doze semanas, diversos artistas locais participaram junto com a banda de noites antológicas e de muito som na extinta casa noturna The Lizard Lounge. Em virtude disto, vale lembrar todos que participaram: Auravil, Nulimit, Plastika, Mário Salimon, Spirituals de Porco, Pravda, Eduardo Rangel, Tijolada Reggae e Bigroove.

Com a entrada do Pedrinho e com figurino próprio a banda entra em uma seqüência de shows intensa e que ao final do ano chegaria ao total de 52 apresentações, o que significa uma por semana e que para um mercado restrito como o da região centro-oeste torna-se um marco.
Pela quinta vez consecutiva o grupo inicia uma nova temporada de 12 semanas. Desta vez, sob o título de “Homenageando os Ícones da Era Disco”, a banda a cada semana divide suas apresentações com os seguintes temas:

As Divas
A discoteca brasileira
Os filmes
As grandes bandas

No final do ano 2000, o baterista Pedro Mamede, despede-se do grupo para assumir as baquetas da banda de apoio do cantor e compositor brasiliense Oswaldo Montenegro. Para surpresa geral, a banda é considerada a melhor de Brasília, segundo avaliação do jornalista Irlam Rocha Lima, participa como representante local da campanha nacional de Natal da Rede Globo e fecha o ano com um super show no Reveillon do Clube do Congresso.

2001
Em 2001, contando com o baterista Daniel Oliveira, a banda inicia o ano com mais uma longa temporada de verão no Gate´s Pub, quebrando seus próprios recordes. Pela primeira vez, é convidada para apresentar este espetáculo na casa noturna Frei Caneca Draft, contabilizando 30.000 (trinta mil) espectadores ao longo de 12 (doze) apresentações. Paralelo à isto, a banda estabelece um novo formato para festas particulares, casamentos e eventos intitucionais, transformando os tradicionais bailes em shows temáticos e que aos poucos transforma-se em uma nova opção deste segmento.

A partir da consolidação de seu nome, estilo e público, a banda resolve dar vazão a um projeto mais ambicioso. Trata-se da gravação de seu primeiro disco com músicas compostas e arranjadas pelos próprios integrantes.

Com quinze músicas prontas, a banda inicia o processo de pré-produção. Antes de iniciar este processo, o baixista Raul Santiago e a cantora Indiana decidem deixar o grupo.

O ano termina com a banda mais uma vez sendo contemplada com o título de melhor banda de Brasília em um grande concerto no Reveillon oficial da cidade para um público estimado de 150.000 (cento e cinqüenta mil) pessoas.

2002

Paralelo à mais uma temporada de verão, desta feita, acontecendo simultaneamente nas casas noturnas Farol e Café Cancun a banda inicia em fevereiro no estúdio AudioTech de Brasília, com produção artística de Victor Z , produção executiva de Gustavo Vasconcellos e Marcelo Carvalho, a produção de seu primeiro CD, intitulado “MUDE O BAILE”, primeiro lançamento do recém-criado selo GRV Discos.

Com o disco concluído e a inclusão do guitarrista Léo Barros e do baixista André Benedetti, a banda inicia uma nova fase recheada de novos desafios e metas. A principal delas: o reconhecimento de outros estados brasileiros. Essa trajetória tem início a partir do show de lançamento do CD da banda realizado de forma inédita na capital do País, nada mais nada menos do que na cobertura de um prédio. É isso mesmo. No dia 03 de agosto de 2002 a banda chegava a cobertura do prédio da empresa Só Reparos, localizada no SIA para apresentar ao público e com a participação das bandas Pravda, Los Tranqüilos e Spirituals de Porco o seu primeiro disco.

Nesta noite, tendo como referência comercial a estratégia bem sucedida da banda de reggae Natiruts, atrelou a venda do ingresso ao CD e desta forma obteve uma saída inicial de 2000 CDs logo em sua noite de lançamento.

De agosto de 2002 a maio de 2004, a banda viveu talvez o seu melhor momento profissional na medida em que ia se projetando dentro do circuito de shows em outras cidades e estados, principalmente, no Sudeste e no Sul do Brasil.

A estréia fora de Brasília foi um marco na carreira da banda. Em fevereiro de 2003 a banda desembarcava na capital de São Paulo para duas noites memoráveis e inesquecíveis na tradicional casa noturna Bourbon Street no bairro de Moema e um pocket show na FNAC de Pinheiros. Ainda no mês de fevereiro de 2003 estiveram em Curitiba e São Bernardo do Campo lançando o respectivo CD.
Daí em diante as apresentações sucederam-se a cada dois meses e quando viram já tinham como rotina mensal dedicar a primeira quinzena de cada mês aos compromissos em Brasília e a segunda aos compromissos em outras localidades. No total, a banda visitou por mais de uma vez as seguintes cidades e seus meios de divulgação:

– São Paulo, São Bernardo do Campo, Campinas, Jundiaí, Vinhedo, Indaiatuba, Votorantim, Sorocaba, Franca, Ituverava, Araguari, Uberlândia, Goiânia, Curitiba, Porto Alegre e Florianópolis.

Em Campinas e Sorocaba a banda cumpriu temporadas mensais.

2004

O auge desta fase aconteceu quando esteve no Reveillon de 2003-2004 na praia de Jurerê Internacional em Florianópolis – SC.

Paralelo às atividades fora de Brasília a banda estreiou em janeiro de 2004 mais um projeto vitorioso na cidade intitulado Black Night & Black Hits onde diversificava o repertório em torno da black music de todas as décadas, internacional e nacional, sempre recebendo uma cantora brasiliense como convidada especial, entre elas: Carmem Manfredini, Taís Uessugui, Ellen Oléria, Juliana Ramalho e a ex-cantora da banda Indiana.

E foi justamente neste show em março de 2004 onde vários ex-integrantes coincidentemente estavam presentes que começa o projeto que terá início em julho deste ano e que se estenderá até julho do próximo ano, onde desejamos percorrer os principais lugares por onde passamos com este show que envolverá ao longo do ano os demais integrantes que passaram pela banda para que em julho do ano que vem possamos registrar esse momento especial em CD e DVD.

Sejam bem vindos e comemorem conosco.

PRINCIPAIS EVENTOS

Ao longo destes anos contabilizamos algo em torno de 600 apresentações, vistas por aproximadamente 1 milhão de pessoas em todo o País.

Abaixo listamos alguns eventos e temporadas marcantes, além dos prêmios concedidos da banda.

1996

– PRÊMIO COLUNISTA DA PUBLICIDADE E PROPAGANDA – EDIÇÃO BRASÍLIA
Local: FÁBRICA

– 50 ANOS DO UNICEF
Local: PARKSHOPPING

1997

– LANÇAMENTO DA REVISTA ROTEIRO DA GAZETA MERCANTIL
Local: ACADEMIA DE TÊNIS

– KAISER FEST
Local: SIA

– ELLUS – 25 ANOS
Local: ZOOM

– FESTA DE PREMIAÇÃO DO XXX FESTIVAL DE CINEMA DE BRASÍLIA
Local: TORRE DE TV

1998

PORÃO DO ROCK – I EDIÇÃO
Local: CONCHA ACÚSTICA

1999

– REVEILLON DA BOATE SCAPE
Local: RECANTO DAS ÁGUAS

2000

– 40 ANOS DO CLUBE DO CONGRESSO
Local: Clube do Congresso

– STUDIO 54 – I EDIÇÃO
Local: Estúdio Fotográfico Rafael Reisman

– 70×70
Local: Academia Boca

– REVEILLON DO CLUBE DO CONGRESSO
Local: Clube do Congresso

2001

– STUDIO 54 – II EDIÇÃO
Local: Estúdio Fotográfico Rafael Reisman

– PRÊMIO COLUNISTAS DA PUBLICIDADE E PROPAGANDA – EDIÇÃO BRASÍLIA
Local: Clube do Exército

– 4 DÉCADAS EM UMA NOITE
Local: Fazenda da Antártica

– REVEILLON OFICIAL DE BRASÍLIA
Local: Esplanada dos Ministérios

2002

– LANÇAMENTO DO CD MUDE O BAILE
Local: Cobertura da Só Reparos

– 30 anos do Shopping Conjunto Nacional
Local:Espaço da Corte
2002

FAROL

– JANEIRO e FEVEREIRO

CAFÉ CANCUN

– JANEIRO FEVEREIRO MARÇO e ABRIL

FREI CANECA DRAFT

– MAIO

ANTILLA

– MAIO e JUNHO

2003 e 2004

FIVE STREET – SOROCABA (SP)
BARRIL DA MÁFIA – CAMPINAS (SP)

PRÊMIOS

– “Os Melhores de 97” – categoria ‘Banda’
– Concedido pelos Promoteurs: Anna Paula Couto, Ronald Carvalho e Pedro Paulo.

– Melhor Banda de Brasília – 2000
Concedido pelo jornalista Irlam Rocha Lima

– Melhor Banda de Brasília – 2001
– Concedido pelo jornalista Irlam Rocha Lima

Galeria

Eventos realizados

BSB Disco Club de volta para o seu DNA

Pensando sobre a noite de ontem [10|8] no UK Music Hall, quando ocupamos um “sábado […]

Mais detalhes

7 ANOS DE MÚSICA ENTRE GRV E BAR BRAHMA

  Há 1 anos atrás escrevia assim: “01|08: GRV e Bar Brahma: 6 anos de […]

Mais detalhes

A Parada da Música – Ao vivo 3º Edição

  “Haveria cover se não houvésse o autoral”? No dia 1º de julho de 2019, […]

Mais detalhes

A Parada da Música – Ao vivo 2º Edição

  Data: 24 de junho de 2019 | 19h “Haveria o original se não houvésse […]

Mais detalhes
2461 Músicas distribuídas
461 Obras Sob Administração
4089 Shows Realizados
130 Projetos Executados
11 Projetos Captados
76 Projetos Elaborados